sexta-feira, 5 de julho de 2013

Junto com a filha, nasce um pai


Este post começou com o pedido de uma amigo velho para compartilhar as experiências vividas nessas poucas semanas de pai. Comecei a escrever o email e fui achando que poderia virar um post. Pois bem, ca estamos.

Já no sétimo mês fizemos um curso para gestantes. Aprendemos a dar banho, a trocar fralda e tudo mais. Mas obviamente que nem tudo estava previsto no manual. Então aqui deixo algumas das poucas experiências que já passei. Mais informações vocês podem encontrar no blog da Marcelle.

Antes do nascimento, converse com sua filha: Pode parecer bobagem, mas conversar com a barriga da sua esposa é bastante importante. Depois do oitavo mês de gestação, o aparelho auditivo já está formado e ela já vai começar a reconhecer a sua voz. O dia do parto vai ser a pior experiência da vida dela, vai sair daquele quentinho e escurinho pra ir pra um ambiente claro e gelado na mão de um monte de gente estranha. Ter uma voz familiar como referência é o diferencial para ela manter a calma e não deixar a experiência tão traumatizante assim.

Depois do nascimento, converse com a sua filha também: Sempre que for trocar a fralda, dar banho ou botar pra dormir, converse com sua filha. "Filha, vou trocar sua fralda, ela não pode ficar suja. Vou tirar seu casaquinho agora..." E lembre-se: SEM BABY TALK. Voz normal, ela tem que reconhecer a sua voz. Claro que eles ainda não entendem, mas ouvir a voz do pai ou da mãe é algo mágico que acalma.

Depois de adulta, continue conversando. Mas isso a gente já sabe. :)

Rotina é MUITO importante: Bebês não sabem o que é dia e nem o que é noite, tenha uma rotina clara. De dia abra as janelas, faça barulho e acorde o bebê a cada duas horas para mamar. Se não acordar só com estímulos, tire a roupa, eles sempre acordam assim. A noite, diminua o ritmo, abaixe o volume das coisas e não deixe tantas luzes acesas. Ensine que é hora de dormir. Dê banho sempre no mesmo horário, arrote e bote no berço. É uma receita quase infalível.

Parece que no começo você vai morrer, que não vai dormir nunca mais, que ela acorda a noite inteira e acabou tudo. SIM. Mas passa. E não demora. A Carol já está acordando apenas UMA vez por noite.

Bebês choram por motivos simples de desconforto: Ou é fome, ou está com fralda suja ou está com calor ou com frio. Se você verificar todos esses fatores e estiver tudo OK, então é hora de levar ao hospital. Bebês recém nascidos não são manhosos, nem mal acostumados nem malandros - eles ainda não aprenderam o que é isso. Se chorar é por que tem algo de errado mesmo.

Na hora de dormir: Não deixe dormir no colo pra depois colocar no berço, é importante que ela aprenda a dormir sozinha e no berço. Do contrário sim, você vai estar mal acostumando sua filha.

E o que eu descobri sendo pai? Bem, aprenda a se respeitar também. Você não vai nascer pai, vai aprender. Errar não vai o tornar a pior pessoa do universo, com calma a gente chega lá :)

Bibliografia recomendada:
Os Bebês e suas mães - D. W. Winnicott.
A encantadora de bebês - Tracy Hogg.
Postar um comentário